Skip to main content
Enjoy free standard shipping on orders over $49,99

Por que você deveria mudar para um mouse sem fio?

Hoje em dia existem mais mouses sem fio do que nunca, e pode ser difícil dizer como eles se diferem ou se comparam com os mouses com fio tradicionais. Aqui está uma explicação introdutória de mouses sem fio, como eles funcionam e as comparações com seus semelhantes com fios ou cabos.


A Controvérsia

Muitos anos atrás, voltando para quando o sem fio Rival 650 estava ainda em projeto, eu gastei um bom tempo conversando com os gamers sobre mouses sem fio. Foi um tópico surpreendentemente controverso.

Algumas pessoas ficaram muito animadas com a perspectiva de uma versão sem fio de seus mouses favoritos. Outros observaram isso com uma mistura de horror e aversão ao explicarem porque eles nunca comprariam um mouse sem fio, citando o risco de perda de sinal ou bateria no meio de um jogo. É claro que, como nos assuntos mais controversos, havia um grande número de pessoas que não tinham sequer uma opinião tão grande sobre isso.

O que importa então em um mouse?

Antes de podermos falar sobre os méritos relativos de mouses com fio versus mouses sem fio, precisamos ter uma linha de base para analisar o que faz parte de um bom mouse. Pense no que é importante para você em um mouse. Uma das respostas mais comuns para esta pergunta é ergonomia. Se você vai jogar com um mouse por seis, dez ou doze horas de cada vez, então você vai querer que o mouse se sinta bem e natural em sua mão.

Rival 650 with illuminated multicolor background

A maioria de nós experimentou as qualidades de desconforto e distração geradas por um mouse desconfortável. Um bom mouse deve ser tão natural que você pode esquecer que ele está lá - uma verdadeira extensão de sua própria mão. Os mouses sem fio não devem ser diferentes em termos de ergonomia - o que funciona com fios também deve ser verdadeiro em mouses sem fio.

A segunda coisa que as pessoas muitas vezes valorizam é a performance, e é nisso que um monte de dúvidas se centrava em um mouse sem fio. Infelizmente, fora de o que "funciona" versus o que "não funciona", o "desempenho" pode ser relativamente abstrato, e o consumidor médio normalmente não pode avaliá-lo em um nível hiperdetalhado ou específico, a menos que algo seja muito perceptível. Os fabricantes publicaram as especificações, mas, sem qualquer contexto, se tornou difícil para a maioria determinar o que realmente tem efeitos ou não.

Medindo a Performance de um Mouse

A melhor definição para o desempenho do mouse é que um mouse de alto desempenho deve "refletir o movimento da minha mão na tela com a maior precisão possível". Isso geralmente é realizado em 3 maneiras:

  • A precisão do sensor
  • A latência do firmware
  • A taxa de polling da conexão com o PC

Por exemplo, o Rival 650 tem exatamente o mesmo sensor que seu par com cabo, o Rival 600, então a performance do sensor foi mantido. Entretanto, o salto para o sem fio pode ter um efeito profundo na latência e taxa de polling que será explicado abaixo.

Latência

A latência em mouses é medida como a quantidade de tempo que leva para um movimento da sua mão ser espelhado pelo PC. Esse número é importante porque, se a latência ficar muito alta, o mouse começará a ficar lento ou terá resposta atrasada. Esse sentimento de lag pode realmente chocar, ser antinatural, ou até mesmo causar enjôo. Por causa disso, os desenvolvedores de firmware trabalham muito para minimizar a latência, portanto, há um tempo mínimo entre a ação do mouse e a reação na tela.

Taxa de Polling (Polling Rate)

A latência mínima que um dispositivo pode ter é determinada pelo que é chamado de taxa de polling. A taxa de polling é uma medida da frequência com que o PC "pergunta" ao mouse se ele tem dados para transmitir. A taxa de polling é geralmente negociada entre o sistema operacional e o mouse quando este acessório é conectado pela primeira vez. A taxa de polling é geralmente medida em hertz: uma taxa de polling de 1000hz significa que o dispositivo é pesquisado 1000 vezes a cada segundo, portanto, a taxa de polling de 1ms. Se um dispositivo tiver um polling de 500 Hz, isso significa que a latência mínima é de 2 ms.

A taxa de polling afeta mais do que apenas a latência - ela também afeta a suavidade do seu cursor. Isso ocorre porque a taxa de polling também define quantas amostras que o PC obtém do mouse. Basicamente, mais amostras (1000 por segundo) são iguais a mais detalhes. É por isso que os mouses USB SteelSeries usam o polling de 1ms e são amplamente usados por jogadores competitivos e progamers.

Cortando o cabo

Computer setup: monitor, keyboard, headset, mouse, mousepad Portanto, agora que temos uma boa base para medir o desempenho via sensor, firmware e taxa de polling, vamos ver como o desempenho é afetado pelo salto para o modelo sem fio ou wireless ...

O Bluetooth é uma opção?

Como mencionado na última seção, os mouses SteelSeries via USB são padronizados para polling de 1000 hz, que é a quantidade máxima suportada por uma conexão USB com velocidade total. Em comparação, a taxa de polling máxima suportada por um bluetooth é de 125 hz ou menor quando você considera outras variáveis.

Isso essencialmente significa que um Bluetooth tem pelo menos 8x mais latência que o equivalente a um dispositivo USB. Essa diminuição acentuada e a variação na taxa de polling afeta significativamente a suavidade de um mouse, o que, em muitos casos, mais do que anula a eficácia de um sensor de alta qualidade. Em resumo, o Bluetooth NÃO é uma solução sem fio válida para um mouse (assim como não é uma ótima solução para áudio sem fio de alta qualidade!)

However, the Rival 3 Wireless mouse has adds Bluetooth to rock-solid 2,4 GHz wireless, making it a great option if you still need Bluetooth but also want great performance.

A solução do dongle (adaptador)

Wireless dongle for SteelSeries mice Então, se o Bluetooth não é a resposta, qual é então? Assim como com headset sem fio, os mouses sem fio SteelSeries vêm com um dongle especial que usa um protocolo RF proprietário, fornecendo uma latência significativamente menor do que o Bluetooth. Com isso, um mouse sem fio pode alcançar mais largura de banda e menor latência, permitindo a mesma taxa de polling de 1 ms de um mouse com fio.

Gerenciando a interferência

Um dos grandes problemas com os quais todos os dispositivos sem fio podem se deparar é a interferência com outros dispositivos. Os dispositivos com fio são efetivamente protegidos por seus fios, o que significa que não há dois dispositivos com fio que interajam entre si porque não estão se tocando fisicamente. Todos os dispositivos sem fio operam no mesmo espaço e, se dois dispositivos tentarem se comunicar na mesma freqüência ao mesmo tempo, haverá interferência.

Sinal Sem Fio

Quase todos os mouses sem fio no mercado funcionam na banda ISM de 2.4 Ghz. Esta é uma coleção de 80 frequências entre 2.4Ghz e 2.5Ghz no espectro eletromagnético. Esta banda de frequências é usada por muitos roteadores Wi-Fi e todos os dispositivos bluetooth. Então, se você tem muitos destes dispositivos em uma determinada sala, você terá mais interferência. Essa faixa de freqüências também é usada por fornos de microondas, de modo que mesmo um microondas antigo que não tenha uma ótima proteção pode afetar o desempenho da rede sem fio.

Então, nós estabelecemos que a banda de 2.4Ghz é muito barulhenta, e os dispositivos precisam ser capazes de compensar. Em geral, existem duas maneiras de gerenciar isso:

  • Salto de Frequência: um esquema onde tanto o dispositivo quanto o dongle concordam em uma lista de freqüências, e saltam entre si dentro dessa lista. Isso significa que, se qualquer frequência estiver ocupada, os dispositivos podem mudar para um canal mais silencioso.

  • Montagem de um protocolo com confirmações. Por exemplo, no Rival 650, todos os pacotes de dados enviados do mouse tem que serem reconhecidos pelo adaptador dongle. Se o mouse não receber uma confirmação, ele reenviará seus dados. Se você quer ser capaz de garantir uma certa latência, você precisa enviar pacotes pelo menos duas vezes mais rápido. Ao fazer isso, você pode recuperar de um pacote perdido e nunca "perder" ou "queda" de dados devido a interferência.

Alimentando um mouse sem fio

Com dispositivos sem fio, quanto mais dados você transferir, mais energia será usada. Isso significa que mouses de alta performance com baixa latência usarão mais energia do que o mouse bluetooth comum. Para compensar a demanda de energia, os mouses para jogos sem fio precisam de uma boa bateria interna, o que adiciona um pouco de peso. Isso pode ser um problema para algumas pessoas, então se você preferir um mouse super leve, um mouse sem fio pode não ser a melhor escolha para você (ainda).

Se você estiver atrás de maior duração da bateria do seu mouse (ou headset), você pode desativar todos os LEDs ou desligá-los após um certo tempo suficiente sem uso, o que economiza uma boa quantidade de bateria (semelhante a diminuir o brilho no seu telefone).

Um bom mouse sem fio também pode ser usado enquanto estiver conectado, então uma baixa bateria nunca deve atrasá-lo.

Learn more about the Rival 650's fast charging time.

Então, funciona?

Algumas das maiores reclamações com mouses sem fio vêm de preocupações sobre desempenho e potência, mas novos desenvolvimentos e tecnologias têm ajudado mouses sem fio como o Rival 650 para abordar e superar estes medos e criar o mouse sem fio de melhor performance disponível. Não só funciona. Funciona tão bem como é a seu equivalente com fio.